junho 16, 2011

Fronteiras do Pensamento 2011

"Fronteiras do Pensamento" é um projeto bem bacana, que traz diversos pensadores, artistas, cientistas e intelectuais para conferências ao longo do ano. São pessoas que discutem temas contemporâneos sobre questões políticas, sociais e culturais.

Comecei a participar do Fronteiras, quando entrei na @escalagencia lá em Porto Alegre. O evento também acontece aqui em SP, por isso decidi participar, até porque Zygmunt Bauman e Alain de Botton estão entre os palestrantes. Uma vantagem da versão paulista - o evento acontece na Sala São Paulo, um lugar simplesmente lindo! Amei. 

A conferência dessa semana foi com a Shirin Ebadi, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2003, por seus esforços e projetos pela defesa da democracia e dos direitos humanos.

De fala mansa e muita calma, a Dr. Ebadi contou sobre a desigualdade de direitos que as mulheres sofrem em diversos lugares do mundo (e não apenas em países de cultura islãmica). Eu fiquei impressionada com alguns dos relatos. 

Você sabia que em algumas regiões da India, quando o homem morre, a mulher é queimada viva? E que na Arábia Saudita até pouco tempo atrás as mulheres não tinham direito a uma carteira de identidade e que ainda não podem dirigir? 

No Irã, ela trouxe mais alguns dados (já que ela é de lá). É impressionante ver como, mesmo a mulher tendo adquirido mais poder e espaço, ainda existem algumas leis absurdas, como:
- A vida da mulher vale a metade do homem;
- Em um tribunal, o depoimento de 2 mulheres equivale a de 1 homem;
- O homem pode casar com até 4 mulheres e se divorciar sem justificativa. Enquanto a mulher, praticamente não pode pedir divórcio;
- E mulheres casadas não podem viajar, sem a autorização do marido.

É muito estranho imaginar que isso é a realidade de diversas mulhers mundo a fora. Como essa é uma questão cultural, para Dr. Ebadi a solução é a educação. Mostrar para mulheres que isso não é certo, e ensiná-las a se defender desses abusos.

Dá pra resumir o trabalho dela em uma palavra: Coragem! Mesmo sofrendo todos os tipos de retalhações do Governo Iraniano (incluindo o espancamento do marido e da irmã), ela não desiste de ajudar e mostrar a verdadeira realidade do país para o mundo. É muito inspirador. A gente, que vive o mundo da propaganda e das marcas, às vezes esquece que têm coisas muito mais importantes acontecendo no planeta, na vida das pessoas... ai, ai, ai.

Enfim, vale muito a pena participar.
Pra quem quiser saber mais sobre o Fronteiras, veja aqui.

#ficaadica

Um comentário:

gisele.artes disse...

Bem bacana mesmo! :)