março 31, 2010

ModCloth

Eu não sei como só fui descobri sobre essa loja hoje!
Foi no blog da Beth Furtado.
Paixão a primeira vista!


A ModCloth é uma loja online de roupas e acessórios retrô. Também tem coisas para casa. Tudo muiiito fofo.

Olha essa coruja, que amor? Entrou para a minha birthdaywishlist!

Ela foi fundada por um casal (high school sweethearts) de 17 anos em 2002, que foi investindo mais no negócio, a medida que ele foi crescendo. Até virar fulljob. Além disso, eles têm uma veia bem colaborativa. O Projeto "Be the Buyer", por exemplo, permite que as consumidoras escolham os modelos que a marca venda. Depois eles assinalam entre as opções, aquela escolhida pelas consumidoras. Bem interessante.

"Supplying you with the opportunities to have your voice heard is what keeps our company fresh, relevant, and growing by leaps and bounds. This is what allows us to continually accommodate your pioneering passion for modern trends".

E tem mais o blog, twiiter, facebook, myspace...
Bem bacana!

março 27, 2010

CineBororó - Um Segredo em Família

Algum tempo atrás, num sábado como esse, eu e o meu amigo Rafa Brandão fomos almoçar, e ele estava empolgadíssimo sobre a Bororó25. Pra quem não conhece, é um espaço terapêutico aqui em Porto Alegre , isto é, em bom português: um lugar que oferece tipos diferentes de terapia, mas mais do que isso, é um lugar de discussão para a busca da felicidade (possível). E, por essas coincidências da vida, a Lucia (minha chefa) também participa. E naquele sábado, o Rafa vinha de uma reunião do grupo, onde eles discutiram o filme "E se eu fosse vc" (onde eles analisaram o comportamento dos personagens, fazendo um paralelo com a realidade). Desde aquele dia, e com outras conversas com a Lucia, o Rafa e a Laura (que tb participa), virei super fã da Bororó.

Bom, por que essa história toda? Porque nesse sábado acabei indo no CineBororó - evento que é aberto a não participantes da Bororó - para assistir e discutir o filme frânces "Um Segredo em Família". E foi muito legal.Em primeiro lugar, o filme é maravilhoso. Ele é baseado em fatos reais, sobre a vida de um psicanalista infantil judeu, que vive uma infância conturbada pela estranha (e fria) relação que tem com seus pais. A história acontece no período da segunda guerra mundial, que determina o futuro de alguns dos personagens da trama. Ele passa a infância sem bem entender porquê existe essa tensão, apesar de sem querer, estar sempre muito perto da verdade. Até que uma amiga da família rompe o pacto de silêncio, e desvenda o segredo que todos vinham guardando.

Então, esse é o segundo ponto alto do filme: essa visão sobre as relações, as frustrações de cada um, as escolhas, as fugas, os desejos, o medo e, até mesmo, a coragem. E a trama do filme é superbem construída, fazendo um paralelo sobre a vida atual do Psicanalista e da sua infância.

Sob a visão de comportamento, existem muitas questões mal-resolvidas entre os personagens. E essas questões foram o alvo da discussão depois que o filme acabou: A idealização do irmão /filho perfeito. A frustração pela descoberta de uma suposta infidelidade. O desejo e da paixão. O medo. A escolha por fugir (atalhos da vida) e, de certa forma, até punir o marido. O peso das escolhas. A amiga, que tenta, não julgar as ações do marido e da mulher, porque: de que adianta se endignar? Que diferença isso vai fazer? A aceitação de suas raízes. A culpa. E, por último, a libertação do segredo.
Enfim, não tem como eu desdobrar mais o conteúdo, sem contar o filme. E, sinceramente, não quero fazer isso. Mas seguem algumas das discussões que a Bororó trouxe:

1) um segredo nunca fica restrito a pessoa que o guarda. Ele tem um peso tão grande, que transcede tudo, todas as relações. As pessoas a sua volta, podem até não entender exatemente o que se passa, mas vivem o fantasma desses segredos também.

2) não podemos nos culpar e reviver as decisões feitas no passado, que hoje julgamos erradas. Hoje somos pessoas completamente diferente daquela época. Uma pessoa que já viveu aquela situação, para pode-la jugá-la como boa ou ruim. De repente, aquilo foi o melhor que podia ser feito no momento. Se liberte do fantasma do passado, e tire o peso das costas, não fique se julgando. Se concentre no agora.

3) As escolhas são difícies. Mesmo que as julgamos, do lado de forma, como mais simples, como um atalho para não enfrentar um grande medo (por exemplo), não foram fáceis de serem tomadas.

4) E idealizar uma situação ou uma pessoa, não leva a lugar nenhum, só nos ferra (como bem disse a Laura)!

Enfim, não tem como colocar tudo (afinal, esse post já está gigante). Fica a dica do filme, da Bororó e desses eventos maravilhosos que promovem. E se alguém for assistir o filme, me convida para um café depois pra gente discutir mais!

março 26, 2010

Se eu fechar os olhos, será que acontece?


Adoooooooro essas galinhas!
Mais de uma vez, eu sinto assim. Ai seria tão mais fácil, se a aranha realmente desaparecesse, não?

#lovei it! #happyfriday

março 25, 2010

Music Philosophy





Adorei essa dica do Petiscos.
É um projeto do designer inglês Mico, que utiliza letras de músicas conhecidas para fazer posters mtooooo bacanas! Super inspiradores. Vc ainda pode baixá-los de graça ou mandar uma frase, para inspirar um poster novo. Show!

Hummm... acho que eles ficariam bem legais como quadrinhos, pra decorar minha casa. Ou pra fazer aquelas super almofadas divertidas? Ideias, ideias...

Mais aqui.


março 23, 2010

Tudo muda quando se fala sobre a vida. É uma mudança que ninguém nota: a prova é que se fala de histórias verdadeiras. Como se pudessem existir histórias verdadeiras; as coisas acontecem de um jeito e falamos dela de outro. Parece que começamos do começo: "Era uma belo outono em 1922..." E, na verdade, começamos no final.

- Satre em A Náusea, retirado daqui.

março 22, 2010

The blind side

Na minha corrida para ver os filmes do Oscar, consegui tirar um tempo para assistir dois nesse final de semana. E eu fiquei completamente sem ar depois de assisitir “Um sonho possível” (by the way, mais um título maravilhosamente traduzido para o nosso tupiniquim).

Eu li e ouvi várias críticas super negativas, principalmente para a atuação de Sandra Bullock, que segundo os críticos era a favorita –injustamente- para a estatueta.. Sinceramente, eu não vou entrar no mérito dessa questão. Para mim, a atuação realmente é boa, boa mesmo. Mas não foi isso que me deixou com aquela inquietação ao final do filme.

Eu achava que seria mais um filmezinho médio, mas eu me enganei. Baseado em uma história real, o filme retrata a vida de Michael Oher, um menino pobre, negro e sem família ou futuro, que consegue uma bolsa de estudo para uma escola privada americana, e acaba sendo adotado por uma família, que investe – e muito – nele. O final parece de novela, mas a verdade que depois de todo o incentivo ele acaba se tornando um jogador de futebol americano profissional e de muito sucesso.

Mas o que me trouxe a inquietação? O que fez meus neurônios se debaterem feito loucos? Porque eu não conseguia parar de pensar no filme? Nem tava conseguindo durmir... precisava entender, precisava colocar no papel.

Até que veio. Em primeiro lugar, essa mulher teve muita coragem. Ela levou para sua casa uma pessoa que nem conhecia e que todos faziam questão demanter distância. É claro que ela teve medo, mas simplesmente sentiu que era a coisa certa a ser feita. E ele também teve medo e não foi fácil, mas teve coragem de aceitar tudo também.

E segundo, é impressionante o poder de transformação que algumas pessoas têm na vida de outros. É claro que a história de Michal é extrema – ele teve no mínimo cinco pessoas / anjos / seja lá como vc queira chamar – que mudaram radicalmente sua história (outro filme que mostra a mesma lógica é o PRECIOUS).

Mas vc já parou pra pensar quantas dessas pessoas vc tem na sua vida? Ou já teve? Pessoas que tiveram um papel fundamental, provavelmente em algum momento de transição, em que vc precisava de um empurrãozinho... quando parecia impossível seguir adiante? Mesmo que fosse um pequeno passo? E será que eu já fui essa pessoa para alguém? Será que eu fiz a diferença em algum momento?

Eu realmente acredito que as coisas não acontecem por acaso. Eu não acho que seja obra de um ser superior, eu nem me considero uma pessoa religiosa. Talvez eu tenha uma visão romântica da vida, mas quando vc escuta uma história como essa, não tem como não acreditar que exista uma força, uma conexão tão forte, que faça as coisas acontecerem de uma certa maneira. Se ele nunca tivesse entrado na escola, por exemplo, será que ele teria conhecido Leigh Anne Tuohy?

Às vezes a gente não entende ou não quer aceitar o rumo das coisas. Tudo bem. Nem sempre se tem força, nem poder ou desejo para entener o plano maior. Tomara que eu tenha sorte de encontrar mais alguns anjinhos perdidos po aí... alguns eu já até reconheci!

#devaneiosdedomingo.

março 21, 2010

Beatles

Mais uma programação cultural. Nesse final de semana, fui assisitir o show Beatlemania - Hoje e Sempre, com a banda cover THE BEATLES ABBEY ROAD.

É simplesmente demais! A banda incorpora muito o jeito, as roupas, os cabelos, tudo dos Beatles. E entre cada mudança de fase, há um vídeo explicando um pouco dos Beatles Originais e sobre o próprio grupo - que fizeram uma pesquisa detalhada e que até mandaram fazer as roupas com o mesmo costureiro dos originais. Beeeeeeeeem bacana.

E nem preciso falar das músicas, né? Nós demos muita sorte, porque conseguimos ficar na terceira fila! Deu pra ver cada detalhe. Sem contar a Orquestra que acompanha... é de arrepiar. Difícil é ter que ficar sentado...

Abaixo algumas fotinhos da produção do grupo, e dois videozinhos (do meu celular). Enjoy.


video


video

março 19, 2010

"Meu encontro com Drew Barrymore"

Esses dias tava zappeando na net e vi esse filme/documentário, sobre a história de um cara que era muito fã da Drew Barrymore, desde o seus 10 anos de idade. Dai ele resolveu fazer um desafio: tentar um "date"/encontro romântico (e somente isso) com a Drew em 30 dias (tempo em que poderia comprar uma câmera na Circuit City e devolvê-la tendo $$ de volta, graças a sua política de devolução de produtos).Aparentemente a história é bem boba, mas não no ponto de vista de comunicação. É até bem interessante.

Eles não tem nenhum contato direto com a Drew, então basicamente a estratégia foi baseada na regra dos "6 graus de separação" . Ele e dois amigos conseguiram bons contatos, e tentavam através deles, chegar mais perto de Drew - ele conseguiu até fazer uma limpeza facial com a mesma esteticista! Mas por mais perto que fossem, não foi suficiente para encontrá-la.

Até que no 29° dia alguém deu a ideia de fazer um site bem simples e prático: me ajudem a entrar contato com a Drew + um trailer explicando o projeto (q não conseguiam fazer chegar as mãos de Drew) . E essa foi a virada do jogo. É claro que isso é vida real, e por isso, não aconteceu um milagre ou alguma mágica: no dia 30 eles tiveram que devolver a máquina. Mas 50 dias depois (se eu não me engano), alguém mandou o site para a Drew. Ela adorou a ideia e aceitou sair com ele.

Então:
1° Estratégia Offline, tradicional, mais lenta.
2° Estratégia Online e participativa.

Com o site, eles conseguiram envolver outras pessoas que simpatizaram com a causa, e fizeram a informação chegar a Drew. Talvez no Offline eles também conseguissem, mas em bem mais tempo, e exigeria uma ativação muito mais intensa.

O filme demonstra esse momento de transição que estamos pensando. Essa é a visão dos nossos clientes, que não tem contato direto com as reportagens, as redes sociais e o potencial que tem. Todo mundo sabe a força da internet, mas parece tão mais simples+seguro+correto fazer a coisa pelo caminho tradicional. Eu fiquei pensando: se no 1° dia eles tivessem lançado o site, e ativado ele de verdade, será que eles não tinham conseguido o encontro no tempo? Mas isso nem passou pela cabeça deles até o 29° dia! Isso que é loucura mesmo...

março 17, 2010

Mais Alice

Que o filme será um sucesso ninguém dúvida. Ainda mais com as marcas com tudo em coleções e vitrines inspiradas no filme. Agora é a vez da marca de jóias e acessórios Claire's.

Além de um hotsite exclusivo com os produtos, a marca tem uma M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A pop up store! Confesso que invejei muito os londrinos. E a coleção é muito fofa. Tem tiaras lindas, vários colares e umas bolsas mto queridas! O "drink me necklage" é meu preferido...

E o site e a coleção:
#adorei
qd estreia o filme mesmo?

Contagem Regressiva


Daqui exatamente 1 mês é meu aniversário. E - as pessoas que são mais próximas já sabem - eu adoooro comemorar meus aninhos de vida. Talvez a medida que os números vão crescendo, eu vá perdendo esse desejo, mas por enquanto eu aproveito. Talvez seja coisa de Ariano. Não sei, só sei que adoooooro muito. Pode ter uma pessoa, duas pessoas, mil pessoas. Eu fico feliz igual. Eu só preciso comemorar.

Ano passado, acabei fazendo uma comemoração bem menor - mas veja bem, não menos divertida - porque passei em Sampa. No ano anterior, tive duas festas - sendo uma delas mega surpresa, que eu nem desconfiei! E teve um ano, que eu fiz 3 festas na mesma semana!

Já começa que tive a sorte de nascer no mesmo dia do meu irmão. Nós somos "gêmeos" de 2 anos de diferença. Costumo dizer que fui o melhor presente da vida dele - acho que ele discorda, mas eu continuo falando mesmo assim! Então, sempre tem alguma coisa pra família e/ou para os amigos em comum. Então, fica fácil ter mais de um evento...

Mas esse ano vai ser diferente. Bem no dia do meu - digo - nosso aniversário terá o casamento de um casal da nossa turma de amigos do colégio. Queridíssimos! Então, não dá pra faltar... E vou ter que assumir que o dia não será o meu dia - se é que algum dia foi só meu.

Tudo muito bem! Muito bom! Até pq isso não significa que não posso fazer outra festinha.... só não decidi o que ainda. Ufa! ainda bem que tenho pelo menos mais 30 dias pela frente

imagem weheartit

março 15, 2010

Cores


Engraçado a imagem que temos de nós mesmos x a imagem que os outros têm da gente. Esses dias eu vim trabalhar com um vestido preto e a Diretora de Atendimento me olhou e disse: "Carla, que linda q vc está, acho que nunca te vi de preto!".

Quando ela disse isso, eu nem consegui agradecer. Deu um tilti no meu cérebro. Eu sempre me achei uma pessoa que usa preto de mais. Quando entro numa loja, eu sempre olho para as opções pretas. Always! Daí, eu comecei a me policiar e procurar outras cores, menos sóbrias, mais divertidas, estampas... enfim, eu até pego a blusa preta, mas pergunto se tem em outras cores. É mecânico já.

E daí fui comentar isso com uma amiga e ela disse: "Carla, tu definitivamente não é preto! Tu tá sempre usando roupa colorida". E fui checar no meu armário e realmente aconteceu uma transformação. Também me dei conta que tenho roupas de inverno bem mais escuras, mas acho que isso é natural... ainda tenho coisas cinzas, pretas, escuras... mas elas convivem com o verde, azul, amarelo, estampado...

Nossa, eu realmente não me enxergava desse jeito.
O que mais será que eu mudei, e ainda não me dei conta?

imagem via weheartit

março 13, 2010

Rita Lee


Ontem a noite fui no show da Rita Lee! Tava MUITO BOM. Muito bom mesmo. É um show leve e divertido. Tem tanta música dela que faz parte do repertório da minha vida... E foi tão bom ter essa oportunidade de vê-la ao vivo. E no final, ela deu uma batida bem Rock and Roll, que fez a galera levantar da cadeira. Ela tava bem louquinha e divertida. Abaixo tem uns videos bem curtinhos, só pra ficar na memória...




video



video

março 10, 2010

Nova Campanha Zappos!

Já falei da Zappos! e como essa loja tem entrado na minha lista de marcas preferidas. Gosto que eles promovem ações muito ligadas ao conceito/essência da marca. Eles não investem tanto em comunicação tradicional, mas fazem um ótimo trabalho nas redes sociais.

E hoje, eu vi, a campanha de 2010. Não é totalmente inovadora ou cheia de efeitos especiais. Mas tem tudo a ver com a marca. Achei ótimo! Congrats.

março 08, 2010

run, run, run

Hoje eu voltei a correr. A última vez tinha sido em dezembro. Tava muito quente em janeiro, e eu não tava aguentando correr muito. Acabava fazendo um corrida pequena na esteira da academia ou caminhando mesmo. Até que em fevereiro eu parei totalmente com tudo (mentira, até dei aquelas caminhadas na beira da praia).

Março chegou e minha vontade de fazer exercícios também. E hoje eu tomei uma decisão muito feliz: voltei ao CETE. E tudo voltou. Me lembrei porquê eu gosto tanto de correr. E que correr na esteira não tem a mesma emoção.

Na esteira tu não sente o vento batendo no rosto. Não tem a oportunidade de correr olhando um céu estrelado (ou até nublado). O cheiro das coisas, das árvores do caminho. Dos barulhos. Das pessoas correndo ao seu lado, também tentando alcaçar os seus próprios objetivos. Enfim, foi muito bom.

Minha ideia original era apenas dar uma caminhada, pra tirar a ferrugem. Mas quando eu vi, já estava correndo. Foi mais forte do que eu. Foi uma sensaçao muito boa.

março 06, 2010

Mulher, Mulheres

Amanhã é o dia internacional da mulher. Eu não entendo muito bem, como as mulheres enxergam essa data. Eu não desgosto, mas tb não tenho apego algum.

Sempre tive tendências ao feminismo. Não. Na verdade, eu sempre odiei o machismo. Não consigo entender por que uma mulher tem que ser tratada de maneira diferente. Eu não quero que as mulheres dominem o mundo (hum será que já não fizeram?), só gostaria de parar de ouvir algumas bobagens....

Do tipo quando alguém faz algo errado no trânsito: "só podia ser uma mulher" ou se não é "que milagre, não é uma mulher". E se eu questiono, eu sempre ouço a mesmo resposta: "mas Carla, a mulher é mais barbeira, não adianta". Daonde? Cadê as estatísticas? As pesquisas que eu tive acesso sempre mostraram o contrário: o homem causa mais acidentes. Eu não to questionando se as mulheres dirigem melhor ou não. Pra mim é igual. tem homens e mulheres barbeiras. Só isso. Mas não é assim que as pessoas encaram.

Quer outro exemplo? No filme "Up in the air"(ou amor sem escalas), quando a personagem de Vera Farmiga está descrevendo o homem ideal ela diz (mais ou menos isso): "precisa de um sorriso bonito e deus, faça com que ele ganhe menos do que eu". Muto verdade! Mulheres independentes de mais assustam. Por mais mente aberta que o homem seja...

E sabe o que já ouvi mais de uma vez (em matérias, no rádio, na tv) a expressão "foi para isso que queimamos nossos sutãs?". Tipo, dúvidas sobre o que as mulheres realmente conquistaram com a igualdade dos sexos: mais trabalho, mais funções, mais responsabilidades, stress, stress, stress... Eu juro que não entendo. O que elas querem dizer? Que tinhamos que ter ficado em casa, cuidando dos filhos e maridos?

Enfim, eu sei que são mudanças culturais muito grandes, mas eu juro que é isso que espero para os dias das mulheres.

Para inspirar, essa campanha que é mto legal, da Falabella (varejistas chilena):
Download:
FLVMP43GP
Download:
FLVMP43GP
Download:
FLVMP43GP

março 05, 2010

Vitrines Harvey

Nossa, adorei essas vitrines da Harvey Nichols. Já faz um tempinho(culpa das férias!), foi no London Fashion Week, mas acho que ainda vale a pena dar uma olhadinha. Tem até uma vitrine em homenagem póstuma ao Alexander McQueen.

Show!

março 03, 2010

2010: o ano

Minhas amigas e eu criamos uma pequena tradição anual: definirmos uma meta conjunta. Algo que todas temos que trabalhar, persistir. É claro que cada uma faz do seu jeito, e investe o quanto quer. É quase um mantra do ano.

Eu já citei em alguns posts, que 2009 foi o ano do DESAPEGO. O que isso significou para a gte? Levar a vida de forma um pouco mais leve. Esquecer um pouco do peso que nós mesmos carregávamos. Abrir a mente para o novo. Respirar e aceitar o novo. Pensar antes de tomar a mesma decisão do mesmo jeito de sempre.

E 2010? O que seria 2010? Outros amigos, que já sabem da nossa tradição, me perguntavam: Qual é a palavra de 2010? O que será? E nós mesmos, também nos perguntávamos a mesma coisa.

E a resposta veio. Não sei se todas as gurias concordam, então será uma proposta em formato de post. Na verdade, a sugestão veio do meu grande amigo Rafael Brandão, que já tinha adotado uma palavra para si...

Senhoras e Senhores, se preparem. 2010 é o ano da........... CORAGEM!
Coragem. Coragem. Coragem.
É quase uma evolução do desapego. E como se o desapego fosse o momento de aceitar que temos que tomar atitudes diferentes, mas nem sempre conseguíamos. Foi um processo, uma evolução.

2010 é o ano da ação. Ação total. Tomar decisões extremas, ir contra o sistema burocrático que nossos corpos e mentes criam pra viver o mesmo, impedir o piloto automático de funcionar. Sai acomodação. Entra a felicidade.

Ter coragem pra ser feliz. Coragem pra fazer escolhas novas, diferentes. Coragem de seguir seu instinto. Coragem de fazer aquilo que realmente deseja e te deixa feliz. Coragem de admitir (e achar) aquilo que realmente te deixa feliz, mesmo que vá contra o que a "moral" a "sociedade" diz. Coragem pra sentar na janela, porque é isso que te faz bem (esse não dá pra explicar, só lendo o último livro da bororó25).

Pra completar, duas frases mto inspiradoras, que estão em sintonia com esse sentimento, esses votos de 2010:

"Constitui má-fé olhar para o outro, seja ser humano ou deus, para ter uma noção de salvação. Como indivíduos somos livres e agimos de "má-fé" quando tentamos evitar nossa liberdade. Não é fácil a liberdade. Traz consigo a angustia da escolha. Vem com o fardo da responsabilidade"- Satre

"Engano (-a crença do ideal) não é cegueira, engano é covardia... Toda a conquista, todo o passo adiante no conhecimento é conseqüência da coragem, da dureza em relação a si mesmo, da decência consigo mesmo..." - Nietzsche

Coragem, 2010! Coragem!

março 01, 2010

Balanço das Férias

E começa o ano outra vez... opa, quero dizer, gente, voltei das férias! Março está aí, depois de emendar alguns dias depois do carnaval, amanhã começa tudo outra vez. Forno Alegre, Agência, Happys com as amigas, churras, trabalhos, frees, academia, msn, twitter... rotinas, rotinas. Colocar os novos planos em prática. ah, deliciosa rotina.

Mas foi muito bom ter um tempo, uma pausa de verão. Acabei aproveitando pouco os finais de semana de janeiro e fevereiro, mais curtindo meu novo apto (que diga-se de passagem não tem ar-condicionado).

então, super férias.
Carnaval com meus grandes amigos no Uruguay e com duas novas divertidas amigas.
Alguns dias em Porto, curtindo cinemas no meio da tarde, almoços deliciosos, happys.
Uma semana nas praias paradisíacas de Santa, bem família e cheio de aventuras com meus sobrinhos, picolés, colinho de mãe e deliciosos frutos do mar (camarão, camarão, camarão).
E um último final de semana em imbé, com mais amigos, onde eu comi um dos melhores "escondidinhos" da minha vida!



Nossa. Deu pra fazer muita coisa! Descanso, vários quilinhos a mais (socorro!) e uma pele até bronzeada (dentro do que minha brancura me permite). Tudo valeu a pena. E agora? Que recomece o ano. Afinal, não dizem que só começa em março mesmo...

Foi.