janeiro 18, 2009

NRF 09

Semana passada aconteceu a 98th NRF(a grande convenção sobre varejo no mundo). Acontece todos os anos em NY e o tema desse ano foi "A inspiração começa aqui". É o nome bem apropriado para o momento economico que vivemos.

Infelizmente eu ainda não tive a oportunidade de ir pessoalmente, mas deu pra acompanhar bastante coisa por blogs, twitter e o próprio site oficial do evento.

Importante dizer, que com a crise, imaginaria que o evento estaria quase como um velório. Mas parece que o clima otimista (a la Obama, e que mais tarde escreverei um post a respeto) atingiu em cheio o evento, que teve objetivo de inspirar e trazer novas idéias ao povo varejista.

O que teve de mais importante é que (isso parece bem óbvio) o consumidor está de novo no poder. Tá, calma. O que isso significa de fato? É que antes ainda dava pra ficar no discurso de que a estratégia da empresa estava voltada para o consumidor. Agora, não dá mais. Com pouco dinheiro e no meio dessa crise (isso bem forte lá), o consumidor irá ser mais racional nas suas escolhas.

Por isso, o que mais se viu e ouviu foi o termo "Costumer Centricity", que significa usar a informação e o banco de dados de forma inteligente, para que cada loja seja moldada e estruturada conforme as peculiaridades da região (comportamento do consumidor e a oferta da concorrência). Dessa forma, as lojas terão mais relevância para o consumidor local. Quem já faz isso (e muito bem!) são duas lojas mto bacanas: Tesco (supermercado da europa) e a Best Buy (rede de eletroeletrônicos dos EUA). Assim, há menos desperdício e mais assertividade.

Outro ponto muito importante, é que está acontecendo (de fato) uma mudança de perspectiva do consumidor. Os americanos estavam há tempos esbanjando e vivendo uma farra de consumo sem fim (tanto material, quanto ecológica podemos dizer). Agora, nesse novo cenário, as pessoas começam a abrir os olhos para o que realmente importa. Talvez porque agora eles estejam sentido no bolso, mas os americanos (e os brasileiros tb, segundo diversas pesquisas) estão começando a valorizar as empresas do bem. E valores como simplicidade, autenticidade e sustentabilidade vieram pra ficar.

Uma frase mto boa, que fica pra inspirar é do Presidente e CEO da Wal-Mart - H. Lee Scott: "HARD QUESTIONS ARE NOT MADE DURING GOOD TIMES". Vamos ver, ao longo desse ano, como se comportarão os grandes do varejo. Que terão que dar duro, e realmente achar soluções novas, para darem a volta por cima.

Um comentário:

Lucia disse...

O consumidor no poderrrrrr?? Carlinhaaaa!