outubro 21, 2009

eu x minha cara metade

Eu sei, eu não me canso de falar na difícil arte de se RELACIONAR. Esses dias estava numa loja e havia um casal comprando roupas para comemorar seus 30 anos de casado. Eles estavam bem empolgados e o vendedor estava quase assustado, já que isso é quase impossível de acontecer. O homem, então, se vira pra ele e diz: "a fórmula é muito simples, para manter um casamento vc precisa apenas de duas coisas - se manter comprometido e respeitar a individualidade de cada um".

Eu (mega metida na conversa) olhava admirada. Definição mais perfeita. Agora simples?!??! Na teoria pode ser. Mas a verdade é que é esses dois passos são muito difícies de serem colocados em prática.

Comprometimento: essa é como uma chave que se ativa dentro das nossas mentes, porém, nem todo mundo consegue ligá-la. Às vezes não é por mal, outras vezes é por causa de "traumas", outras por ser realmente difícil abandonar as demais "opções" do mercado. Uma boa analogia é o que aconteceu com uma amiga, que foi morar com o namorado: pra ele, não era mais do que morar junto, pra ela, era um "casamento". Parece que assim o compromisso "sério" não existe, mas ele estava lá, um pouco mascarado. O grande problema é que as pessoas têm expectativas diferentes de comprometimento...

Respeitar a individualidade: esse é bem tricky. Alguns dizem que os opostos se atraem, outros que é essencial ter algo em comum. Às vezes, queremos e gostamos tanto de alguém, que moldamos nossa vida todinha para ficarmos mais tempo juntos, abrimos mão de coisas que gostamos, que queremos... e é ai que mora o perigo. Isso acontece de forma tão natural, tão sem querer, que às vezes nem nos damos conta. Fazemos quase que como um favor, mas será que a pessoa realmente espera isso de ti? Vcs não são uma pessoa só. A diferença é importante, porque é isso que faz a gte admirar o outro, ter coisas pra trocar, ter assuntos pra discutir... podemos nos aproximar do universo do outro, mas cada um tem que ter o seu. Cada um tem que ter seus sonhos, seus desejos, suas aspirações.

Uma vez, uma amiga disse: "para um relacionamento dar certo, o casal tem que estar na mesma batida, no mesmo momento de vida, tendo expectativas parecidas". Isso é muto real. Os dois querem viajar pelo mundo (podem ser para lugares totalmente diferentes, e dai entram as concessões) ou os dois querem viver uma vida pacata do interior? Se não há um desequilibrio.

O problema? É que às vezes a gente não sabe o que quer, e daí fica muit fácil (e diria até tentador) entrar de carona na vida do outro...

#viucomoédifícil?

Um comentário:

Mah disse...

É como o @realwbonner falou: respeito e comprometimento. Duas palavrinhas aparentemente fáceis, mas realmente difíceis. Bem bom o texto, parabéns!

beijoca.