outubro 15, 2009

Mulher x Realidade


Será que nós mulheres realmente vivemos em um mundo paralelo? Será mesmo que a gente idealiza tudo? Felicidade. Amor. Sucesso. Isso tudo existe mesmo?

Algumas semanas atrás fui numa apresentação da Denise Galló (da Uma a Uma - empresa de pesquisa especializado em mulher), que me fez pensar um pouco mais sobre o assunto. Só pra vcs entenderem o contúdo: ela divulgou o estudo Receita de Mulher, onde foram analisados 1.474 anúncios de revistas femininas (Cláudia, Nova, Marie Claire). E o que ela comprovou? Que as marcas acabam trabalhando com 4 tipos de abordagens: "beleza e juventude", "romance ideal", "bem-estar" e "construção de si mesma". Mas será que tudo isso é alcançável (ainda mais tudo junto, de uma vez só)?

A verdade é que a mulher passa mais tempo na busca dessas coisas, do que vivenciando esses momentos. Só que as marcas contribuem para tornar esses desejos mais inatingívies: "felicidade é se sentir assim"e "beleza é ser de tal jeito".

Mas é fácil entender porque isso acontece. Nós, da comunicação, trabalhamos em cima dos anseios das pessoas. Tentamos entender a fundo o seu comportamento, seus medos e o que os motivaria a consumir. Eu não acho que a publicidade é a grande vilã, pq ela retrata um sentimento existente. Talvez a forma não ajude. Acabamos pressionando ainda mais e mais... criando um mundo idealizado nas novelas, nas revistas e nas campanhas. Queremos trabalhar o aspiracional, aquilo que a mulher deseja para si. Mas nem todo mundo tem a vida da Helena, né Maneco?

O problema é que nos tornamos mais críticas, e nada é suficiente. Só vou ser feliz se tiver um apto só meu. Mas só mesmo se esse apto tiver 2 banheiros. Mas só se eu puder ter o apto e viajar todo final de semana. E tendo o emprego dos sonhos. Aquele que paga bem e tem horário super flexível. E não me exige trabalhar fora do horário. Mas que eu me realiza também. E como o Brad Pitt de namorado. E fazendo uma plástica todo o ano... Ufa! E assim vai, a lista nunca acaba. E a gte só inclui mais e mais exigências para alcançarmos a felicidade...

A questão que a Denise levantou é perfeita: de que lado as marcas querem estar? Sendo cúmplice na busca desses desejos/sentimentos ou tornando esses cada vez mais inatingíveis?

E a última dica é a melhor: "Menos photoshop nos corpos, menos photoshop na vida..."

#seráqueagteconsegue?

Um comentário:

gisele.artes disse...

Acho q isso não é só coisa de mulher. Dá uma olhadinha tb nas propagandas de Homens: se ele usar tal desodorante ele vai ter de volta as mulheres q um outro roubou; se vc tiver 'aquela' camionete vc vai ter aventuras; se vc usar aquela cueca a mulherada vai ver suuuuper dadeira! É do ser humano ter desejos e mais desejos, de nunca estar satisfeito, acho q não é coisa de mulher ou homem! bjos, mana